quinta-feira, 1 de maio de 2008

O melhor amigo do consumidor

A revista PROTESTE fornece aos consumidores em geral excelentes informações acerca de vários produtos e, uma vez que os alimentares acabam por estar muitas vezes entre eles, decidimos ler com atenção algumas das mais actuais, de onde seleccionamos algumas questões que consideramos interessantes para o consumidor:

· Quantos dias posso manter a carne cozinhada e crua? E a sopa?
A carne deve ser guardada na zona mais fria a uma temperatura entre 0ºC e 3ºC, junto dos pratos já cozinhados, peixe, produtos de charcutaria e outros produtos sensíveis. A carne picada deve ser consumida de imediato e até 24 horas. Outras carnes cruas podem ficar no frigorífico até 3 dias. Já as cozinhadas só resistem durante 1 a 2 dias. A temperatura no interior do frigorífico deve rondar os 3ºC, mas nunca deve ser negativa, nem superior a 5ºC.

· Se um alimento apodrecer no interior pode contaminar os restantes?
Sim, pode haver transmissão de odores e de bactérias. Proteja os alimentos com película aderente ou coloque-os em caixas herméticas. Evite contaminações e limpe o frigorífico, pelo menos, uma vez por trimestre, com água e bicarbonato de sódio, detergente da loiça ou produto de limpeza próprio. Enxagúe bem o aparelho com um pano húmido.

· Como reconhecer leite estragado?
Se a embalagem está inchada antes de a abrir, o leite já não está em boa condições. O desenvolvimento de microrganismos pode provocar a formação de gás e um aumento do volume do pacote.
No caso do leite UHT (ultrapasteurizado), depois de aberto, guarde-o na porta, na zona menos fria do frigorífico, e consuma-o no prazo máximo de 3 a 4 dias. Os leites pasteurizados ou do dia devem ir para o frio logo após a compra e, depois de abertos, duram 1 a 3 dias.

· Até quando posso comer um iogurte, depois de ultrapassar a data de validade?
O melhor é não comer. Alguns alimentos apresentam uma data de durabilidade mínima até à qual o fabricante garante que conservam as suas propriedades. É o caso dos produtos com a indicação “consumir de preferência antes de…” no rótulo. Outros, como os iogurtes, indicam uma data limite de consumo, expressa em “consumir até…”, com indicação do dia e mês, pois são mais perecíveis e podem representar um perigo imediato para a saúde. Uma tampa arredondada é também sinal de um iogurte estragado.

· Qual a melhor alimentação para quem tem problemas de colesterol?
Nestes casos as gorduras saturadas são um alvo a abater. Carnes vermelhas, charcutaria e outros produtos gordos de origem animal devem ser banidos da dieta, bem como alimentos ricos em ácidos gordos trans. É o caso dos produtos de padaria, bolacha e óleos de fritura reutilizados, entre outros.
Já as gorduras monoinsaturadas, como o azeite, ajudam a reduzir o mau colesterol. Dentro das gorduras polinsaturadas, os benefícios vêm, sobretudo, dos ácidos gordos ómega 3 e ómega 6. Peixes gordos, como salmão, atum, cavala e sardinha, os óleos vegetais de milho e de girassol, e frutos oleaginosos, como nozes e amêndoas, são amigos do coração.

· Qual o valor dos produtos anticolesterol?
Margarinas, leites e leites fermentados à venda contêm esteróis e estanóis vegetais, componentes naturais de plantas que actuam no intestino, limitando as hipóteses do mau colesterol entrar no sangue. Mas o seu consumo deve ser complementado com uma dieta equilibrada e variada, rica em fruta e vegetais, e exercício físico.
“Reduz o colesterol” é uma das alegações de redução de risco de doença ou de saúde que só pode ser feita quando comprovada pela ciência. Até 2010, a comissão Europeia vai aprovar uma lista de alegações para todos os Estados-membros e as condições para a sua utilização. A quantidade e a forma de ingerir o produto, indicação da importância de uma dieta variada e equilibrada e avisos de riscos ou quem deva evitar o seu consumo também serão obrigatórios nos rótulos.

· O que significa “light” e “sem adição de açúcar”?
Um produto só pode ser considerado light se apresentar uma redução de, pelo menos, 30% num nutriente como gordura ou açúcar, face ao alimento tradicional. A alegação deve indicar as características que o tornam light: “menos 33% de gordura”, por exemplo. Mas não significa que o produto seja menos calórico: pode reduzir a gordura e compensar no açúcar, mantendo o valor energético.
“Sem açúcares adicionados” significa que o produto não contém açúcar ou outro elemento com propriedades edulcorantes. Mas quando os açucares estão naturalmente presentes, como no chocolate que contém açúcar natural do leite e cacau, devem indicá-lo no rótulo.

· Os alimentos integrais são mais saudáveis?
Os produtos integrais contêm mais fibras. O pão integral, por exemplo, tem mais fibras, vitaminas e sais minerais do que o pão branco. As fibras ajudam a saciar e a controlar o apetite e estimulam o trânsito intestinal. Estudos indicam que ajudam a prevenir o cancro do cólon, diabetes e doenças cardiovasculares. Por dia, recomenda-se 25 a 30 gramas de fibras, entre fruta, legumes e cereais integrais.

· As batatas cozidas têm menos calorias?
Sim, se forem fritas, têm o triplo das calorias. Cozidas, são menos calóricas que a massa e o arroz cozidos.
É o modo de as preparar, e não as batatas em si, que as torna calóricas, sobretudo, quando se utiliza gordura. Prefira as batatas assadas, cozidas, em puré ou estufadas.
Se fritar, corte-as grossas, para absorverem menos gordura e, antes de as colocar no óleo, seque-as bem. Caso utilize batatas congeladas, coloque poucas no cesto, para que não demorem a fritar e absorvam menos gordura.

· Como tenho a certeza de que um ovo está fresco?
Um ovo está fresco se, ao imergi-lo em água, permanecer no fundo do recipiente. Os ovos velhos flutuam e a sua casca é mais lisa e com brilho (a do ovo novo é áspera e opaca). Quando aberto, um ovo fresco quase não tem odor. A clara, límpida e translúcida, é gelatinosa, e a gema, saliente. Se a clara estiver fluida e a gema achatada é muito provável que o ovo esteja envelhecido. Num ovo fresco, as calazas mantêm a gema no lugar. À medida que um ovo envelhece, vão deixando de cumprir a sua função. A gema torna-se móvel e, sacudindo vigorosamente o ovo (se este for velho) ouve-se um ruído característico.

· Qual a melhor forma de conservar um ovo no frigorífico?
Guardá-los com a ponta mais fina virada para baixo e respeitar a data de validade impressa na embalagem ou nos ovos. Evite submetê-los a variações de temperatura acentuadas. Lave-os apenas antes da sua utilização imediata, para não danificar a cutícula que protege o ovo da entrada de bactérias.

Informações simples mas extremamente práticas, úteis para qualquer um de nós!

3 comentários:

Henrique disse...

Acho esta informação muito importante, pois ajuda as pessoas a saber como fazer uma alimentação mais saudável!

Henrique

Lídia disse...

Ora aqui temos informações muito úteis! Parabéns!!! Continuem a dar-nos destas dicas!

Lídia

Anónimo disse...

ola tenho uma filha de 4 meses com sindrome de west desde q nasceu e tem crises d dificil controle ja foi usado todo tipo de medicamento inclusive ACTH( corticoide0 sem resultados,a neuro dela esta pensando nessa dieta ja q no caso dela seria a unica opcao no momento mas complicado uma vez q ela s alimenta apenas d leite. alguma sugestao?? toda dica e bem vinda! obrigada!