sexta-feira, 2 de maio de 2008

Embalagens Inteligentes

Embalagem inteligente é aquela que permite a conexão em tempo real entre a mercadoria, dados e cliente ao longo da cadeia de abastecimento, fornecendo, por exemplo, visibilidade, rastreabilidade e monitorização das condições de armazenamento.

Há 2 grupos de embalagens inteligentes:
  • Tecnologias de Comunicação - Voltadas principalmente para a cadeia de abastecimento; necessitam de equipamentos para a sua leitura. A principal inovação são as etiquetas RFID, identificador de rádio-frequência, que substitui os tradicionais códigos de barra. No futuro, quando formos a um supermercado, colocaremos as nossas compras etiquetadas com chips RFID no carrinho e sairemos pela porta sem ter que passar pela caixa; o valor da compra será somado automaticamente e deduzido no nosso cartão de crédito, activado por RFID, bastando passar por um banco de antenas.

  • Tecnologias de Diagnóstico - Informam sobre a qualidade (frescura) dos produtos. Apresentam tecnologias que interagem por meio do olho humano directamente, ou por meio de luz ultravioleta. Baseia-se em tintas, principalmente termocrómicas; e revestimentos que reagem com organismos patogénicos ou que monitorizam o teor em oxigénio e dióxido de carbono na embalagem. Existem também alternativas baseadas em enzimas e soluções bioquímicas, aplicadas na superfície da embalagem como um revestimento ou rótulo. E há também tecnologia para ser aplicada internamente.


Estas embalagens agradam aos consumidores, pois podem obter informações sobre a qualidade do produto que estão a adquirir. Ex.: a embalagem pode mudar de cor se o produto já não for fresco ou estiver fora de prazo.


Esta tecnologia só é válida se ela oferecer um benefício claro ao consumidor, ou seja, se ela agregar valor ao produto e se esse valor for perceptível.


Entre as soluções inteligentes recomendam-se tecnologias que:


  • Ajudem o produto a chegar ao consumidor em melhores condições (filmes barreira);

  • Indiquem ao consumidor a condição do produto (indicadores de amadurecimento, medidores de tempo/temperatura);

  • Apliquem o produto mais eficientemente (aplicadores electrónicos);

  • Entreguem o produto na temperatura certa (embalagens com sistemas de auto-resfriamento ou auto-aquecimento);

  • Assegurem que o produto será usado correctamente (dispositivos de tempo/validade);

  • Assegurem que o produto é original (dispositivos anti-violação/falsificação).

Promete não acham?

4 comentários:

Paulo disse...

Desde que seja para benefício do consumidor... tudo bem!
Evita trabalho... à ASAE!

Paulo

Catarina disse...

Assim, podemos saber se o produto está verde ou maduro demais. Isso é uma grande vantagem. Sim senhor! :)

Anónimo disse...

Assim evitamos ter surpresas desagradáveis quando vamos abrir algum producto. Bastante fácil e rápido! [= Catarina Pri

Thiago Paim disse...

Olá, Ângela, Hélia e Tânia!
Estou fazendo um trabalho de conclusão do curso de Desenho Industrial e pesquiso as embalagens inteligentes e a melhor maneira da apresentação e interação com o consumidor. Seria possível, se não for incômodo, me enviarem a fonte da pesquisa deste excelente post? segue meu e-mail: thiago.paim@yahoo.com.br

Desde já fico muito grato pela atenção e ajuda! Grande abraço!

Thiago Paim